terça-feira, 19 de setembro de 2006

Picardias religiosas

Será dificil olhar para trás na história e não reparar nas diversas barbaridades cometidas em nome ou com a conivência das diferentes religiões.
Bento XVI com a sua palestra "inocente" veio atiçar de novo o barril de pólvora muçulmano.
Curiosamente com a sua tentativa de "incentivar o diálogo e aproximar" as duas fés, Bento XVI disparou dois tiros, um no próprio pé e outro certeiro no "inimigo".
Claro que é fácil condenar a violência em nome da religião (especialmente a muçulmana), quando se fecha o olho ao próprio passado, que inclui entre outros várias cruzadas, a santa inquisição, etc... TIRO NO PÉ
Já as várias imagens de muçulmanos a queimarem efígies do papa e a bandeira da alemanha, ou de muçulmanos a incitarem os seus fiéis à violência (que ao que parece resultou na morte de uma freira e do seu guarda-costas na Somália), dão força às afirmações, geradoras de toda esta polémica, proferidas pelo imperador bizantino – Manuel II Paleológo. Fica a impressão que a mentalidade da religião muçulmana corrente no sec. XIV, continua a ser a mesma de hoje. Palavra chave Violência. TIRO CERTEIRO.

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Muito bem! Quem não se lembra do Galileu e, no lado oposto, do Sebastiãozinho hermafrodita?

6:58 da tarde  
Anonymous André said...

o bruno deu-me o link do vosso site e eu descobri o teu... só pra mandar um abraço, André

7:39 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home